Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cachimbo de Água

MENU

Prisão

Francisco Luís Fontinha 17 Set 15

Há um pincel de tristeza, meu amor, no teu sorriso embalsamado na cinzenta neblina do amanhecer,

Há no teu corpo um jardim, meu amor, recheado de beleza, e é lá onde se escondem todos os pássaros filhos da noite,

Meu amor, há nos teus seios a Primavera acabada de nascer,

Tão linda, tão bela, meu amor… tão gentil como estas palavras que tento escrever,

Mas não o consigo fazer… não existem palavras, meu amor, como o luar poisado nos teus ombros enquanto a pianista inventa para nós sons melódicos, poesia travestida de música, meu amor, e começas a dançar na penumbra biblioteca dos fantasmas envelhecidos,

Há um pincel de tristeza…

Meu amor,

Que entranha os teus lábios na solidão

E me aprisiona ao teu coração…

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Quinta-feira, 17 de Setembro de 2015

Sobre o autor

foto do autor

Feedback