Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cachimbo de Água

MENU

As vozes de amar

Francisco Luís Fontinha 27 Out 15

Esta triste esfera metálica

Que habita o meu corpo de água

Não se cansa de viver

E gritar com as minhas palavras

Não se cansa de escrever

Com as suas perplexas garras

Que a alicerçam ao mar

E a suicidam contra os rochedos

A arder

E todos os medos

Descendo a calçada a correr…

Esta triste esfera

Metálica

Ao pequeno-almoço

Quando todas as janelas da minha casa dormem

(O banho matinal

O café e as torradas sobre o telhado)

Esta esfera

Metálica

No meu corpo deitado

Ou as alegrias da madrugada

Nas tristezas do luar

Ou a vanguarda manhã

Nas vozes de amar

Sem eu o saber

Sem eu o perceber

Esta esfera

Pequena

Triste

E que nunca espera

Nem desiste

De habitar no meu corpo… de água.

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Terça-feira, 27 de Outubro de 2015

...

Francisco Luís Fontinha 27 Out 15

thumbs.web.sapo.io.jpg

"Já não estamos sós...!"

Sobre o autor

foto do autor

Feedback