Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

09
Jun 11

Por favor metam aqui um final feliz. E eu menino não corri pelas picadas de Angola, mas escondia-me nas sombras de Luanda, deitava-me de barriga para o ar, e debaixo das mangueiras sonhava com papagaios de papel, o cordel suspenso no portão de entrada, junto a mim, junto a mim um triciclo enferrujado pelos anos, e escutava os Mercedes-Unimog em corridas vagarosas para o Grafanil,

 

- E se eu pudesse metia um final feliz

 

O avô Domingos com os ossos esmagados na claridade da manhã, a cidade engasgava-se quando do cacimbo emergia o silêncio, e pelas ruas da cidade passeava um machimbombo infeliz pelos anos, e eu aguardava impacientemente pelo seu regresso, o abraço de sempre, a areia límpida da ilha do Mussulo, a Mutamba, e frente à estatua da Maria da fonte, eu silenciava-me e perguntava-me,

 

- Tão grande

 

Eu silenciava-me e perguntava-me, e hoje pergunto-me o porquê dos camuflados em Angola, porquê, e para quê, e hoje não capim, hoje não ilha do Mussulo, hoje não avô Domingos, hoje o avô Domingos sentado na esplanada do Baleizão em conversas com Deus,

 

- Protege o meu neto

 

E se eu pudesse metia um final feliz, no céu desenhava papagaios de papel, sentava-me numa cadeira de praia, e na Baía de Luanda ficava a olhar o mar, apenas o mar, e esperava que o meu corpo adormecesse eternamente, e enquanto o meu papagaio de papel constrói sílabas nos céus de Luanda, percebo que todos os finais são infelizes,

 

- Protege o meu neto.

 

 

(texto de ficção)

Luís Fontinha

9 de Junho de 2011

Alijó

publicado por Francisco Luís Fontinha às 12:43

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO