Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cachimbo de Água

MENU

A tua voz para eu brincar

Francisco Luís Fontinha 21 Mar 11

Deixaste a tua voz

No guarda-fatos lá de casa,

E no meio dos objectos perdidos

Quando a noite estremece dentro de mim,

Entra de mansinho

E agarradinha ao meu corpo

Adormece juntinho ao meu pescoço

Na garganta rouca pelos cigarros…

 

Deixaste a tua voz

Para que eu durante a noite adormeça

Da saudade que arde na fogueira

Que no corredor deambula,

 

E se agarra às sombras suspensas nos meus cabelos.

Deixaste a tua voz para eu brincar

E diluída na minha

Crianças sorriem na calçada,

 

Fazem desenhos na areia

Constroem castelos de sonhos…

 

Deixaste a tua voz

No guarda-fatos lá de casa,

E nas noites que não me apetece brincar com ela…

Sinto-a na escuridão à minha procura,

 

Fazem desenhos na areia

Constroem castelos de sonhos…

Gritam alto pelo mar

E a tua voz traz-me o mar até mim…

 

 

Luís Fontinha

Alijó/Portugal

Sobre o autor

foto do autor

Feedback