Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cachimbo de Água

MENU

Sentir

Francisco Luís Fontinha 13 Fev 17

Sinto no corpo

O peso das esplanadas em solidão,

Sinto no corpo

Os rochedos do medo,

Junto à noitinha…

Quando regressa o sonho,

Sinto no corpo

A tua voz a gritar NÃO,

Desde a madrugada

Até ao anoitecer,

Sinto no corpo

As clarabóias do sofrimento,

Os alicerces das cidades em destruição…

E uma gaivota revoltada

Poisa sobre a minha sombra, e dorme na minha mão,

Sinto no corpo

A saudade, o silêncio… e a vaidade,

Sinto no corpo

Os livros que nunca vou escrever,

Por indiferença, por preguiça… por tudo e por nada,

Este peso,

Este corpo,

Que foge em demandada…

 

 

Francisco Luís Fontinha

13/02/17

Sobre o autor

foto do autor

Feedback