Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

18
Jun 19

Observo os pássaros poisados na minha janela.

Converso com eles,

Contam-me estórias,

Lamúrias,

Contam-me os murmúrios da noite,

Quando se acendem as estrelas e cessa o dia.

Pergunto-lhes porque me visitam, se durante o dia não recebo uma única visita.

Pergunto-lhes porque me perseguem enquanto saboreio, à noite, o meu último cigarro, e, o meu último copo de uísque.

São chatos.

Cansados,

Choram,

Gritam,

E não sei o que lhes dizer…

O que se pode dizer a um pássaro abandonado?

Que está frio?

Que a noite é a coisa mais bela de se olhar?

Escrevo-lhes.

Não me respondem.

Mas olham-me.

Abro a janela, eles entram, são as primeiras visitas dos últimos meses, e, ficam tão felizes por eu lhes acariciar as penas de algodão da cabeça…

Pergunto-lhes.

Vamos escrever um poema?

Que não. Que a poesia é para lamechas.

Mesmo assim, escrevo-lhes.

Falei-lhes de um tal de Francisco, que em miúdo, puxava um triciclo com um cordel invisível por um quintal de Luanda.

Não acreditaram na minha estória…

Dizem-me que não existem triciclos.

Dizem-me que nunca estive em Angola.

Sabes?

Não.

Nunca vi o mar das oliveiras.

 

 

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

18-06-2019

publicado por Francisco Luís Fontinha às 18:52

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
14
15

17
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

...

...

...

...

...

...

...

...

...

...

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO