Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

09
Jan 20

O corpo envergonhado pelo cansaço do amanhecer.

A tristeza das árvores que sombreiam o corpo envergonhado pelo cansaço do amanhecer.

As flores que atropelam o corpo envergonhado pelo cansaço do amanhecer.

As cinzentas cidades que abraçam o corpo envergonhado pelo cansaço do amanhecer.

O corpo envergonhado,

Atropelado,

Pelo cansaço do amanhecer.

O sangue que ilumina o corpo,

Circunflexa paixão,

Quando ardem as nuvens,

Cansadas do amanhecer.

O corpo vergado pela solidão,

No cansaço do amanhecer.

As mãos que sustentam o corpo,

Cansado pelo amanhecer.

O frio que beija o corpo,

O amanhecer cansado nas lâminas do corpo,

Que envergonhado pelo cansaço do amanhecer,

Chora,

Grita,

Morre,

Sem alma,

Sem vida,

Sem palavras,

O corpo uiva,

Levita…

No cansaço do amanhecer.

 

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

09-01-2020

publicado por Francisco Luís Fontinha às 22:05

Janeiro 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
17
18

21
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO