Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

22
Mar 11

Na sala de espera um frenesim de vozes, uma senhora porque o governo já devia ter caído, outra, que vai cair amanhã, uma outra, junto ao umbral da porta, dizia,

- se cair eu apanho-o,

E eu apenas queria fazer a depilação. Nada de mais. É assim tão difícil?

Vou à janela e puxo de um cigarro, eu sei que não devia fumar, mas também não devia ouvir certas coisas e oiço, e das conversas que se construíam na sala de espera de nada me interessavam; eu só pretendia fazer a depilação…

Em cima de uma mesa as revistas do costume, as perguntas parvas do costume,

- beijei o meu namorado, será que estou grávida?

E eu que já nem me lembro da ultima vez que me veio o período,

- será que estou grávida? Mas não beijei o meu namorado…

No rádio alguém pede Tony Carreira,

- que mau gosto,

Na parede um crucifixo olha-me, deseja-me, e eu a ficar sem jeito,

- talvez porque hoje tenho a saia curta de mais,

Começo a sentir-me possuída com aquele olhar, incomodada, mas…

- mas Cristo também devia desejar mulheres,

E eu feliz por me sentir desejada…

O cigarro musicalmente vai percorrendo as avenidas da minha espera, e do fumo, do fumo vejo as sílabas a saírem pela janela, em baixo, na rua, um homem muito mal vestido pede cigarros,

- um cigarrinho,

E as sílabas a construírem frases, e das frases… palavras que se encaixavam na minha mão, e a minha mão não um livro,

- uma mão,

Um livro perdido na janela do primeiro andar, um livro onde não posso escrever mais nada, e ele aos tropeções nos paralelos da calçada,

- minha senhora, um cigarrinho por favor…

Não fumo.

Na sala de espera um frenesim de vozes, uma senhora porque o governo já devia ter caído, outra, que vai cair amanhã, uma outra, junto ao umbral da porta, dizia,

- se cair eu apanho-o,

E eu nem o apanho nem o derrubo, eu só quero fazer a depilação.

- será que estou grávida? Mas não beijei o meu namorado…

E o meu namorado junto ao rio a contar algas, e de cigarro na boca envia mensagens às gaivotas, e as gaivotas não até mim, eu no primeiro andar, desejada por um crucifixo há não sei quanto tempo naquela posição, esquecido na parede juntamente com as fendas,

- há quanto tempo se formou o universo?

Nada de mais. É assim tão difícil?

 

 

 

(texto de ficção)

Luís Fontinha

22 de Março de 2011

Alijó/Portugal

publicado por Francisco Luís Fontinha às 22:53

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Março 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO