Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

28
Mar 11

Eu nas ruas da cidade

Mal tratado pelos paralelos da calçada

No candeeiro do jardim

Um pássaro olha-me

E defeca sobre a minha cabeça

Passo a mão

E na minha mão o presente envenenado

A tão desejada “merda”

 

Nas ruas da cidade

Quando o mar fica furioso comigo

Eu mal tratado

Eu sem abrigo

 

Eu cheirando a “merda”

Eu sou a “merda”.

Nas ruas da cidade

Eu saltitando de rua em rua

De tasca em tasca

De “puta” em “puta”

E “puta” nenhuma

Nenhuma na esquina da pensão

 

Quando o mar entra pela janela

E na minha cama a tão desejada “merda”

Eu mesmo…

Deitado seminu e sonâmbulo

Com três cabeças

E cinco pares de asas

 

E de mim acorda o fedor

Deixei de tomar banho

Não desfaço a barba

E vou dar lustro ao cabelo

 

Nas ruas da cidade

Eu saudade

Eu à espera de petroleiros

Que me olham como “paneleiros”

Eu engasgado

Nos paralelos que me comem aos pedacinhos

 

Me engolem devagarinho.

 

Eu com cinco euros

Dois maços de cigarros,

Digam-me senhores e senhoras

Rapazes e raparigas da esquina

Digam o que me interessa a mim o FMI

Vão tirar-me o subsídio de férias?

Vão tirar-me o subsídio de Natal?

Quero tanto rir-me… eu nem vencimento tenho

 

Venham esses “filhos da puta”

Quero lá saber.

 

Eu nas ruas da cidade

E a cidade aos poucos cospe em mim

A cidade revoltada com o meu cheiro intenso a “merda”

Mas eu tenho direito a voto

Não pago impostos

Não recebo subsídios de “merda” nenhuma

 

Sou muito feliz

E sou Libertino.

 

(Ao grande Luiz Pacheco)

 

 

FLRF

28 de Março de 2011

Alijó

publicado por Francisco Luís Fontinha às 21:32

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Março 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO