Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cachimbo de Água

MENU

Teorema do amor

Francisco Luís Fontinha 28 Out 12

Atravesso a planície do teu olhar

com as sombras infinitas que a noite constrói

nas rochas salgadas do teu peito

do mar tua mão que dói

a saliva maré sem jeito

e a manhã se destrói

dentro das árvores imperfeitas

malignas palavras de amar

na boca da mulher as flores contrafeitas

pintadas de luar

atravesso a planície do teu olhar

e o meu coração dorme sem perceber o teorema do amor.

 

(poema não revisto)

Sobre o autor

foto do autor

Feedback