Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

10
Jan 13

Tínhamos nas mãos dois doces pedacinhos de poesia

migalharias suaves ao mestre dos livros emagrecidos

vadios pássaros teus olhos planetários

tínhamos nas veias

o incenso clandestino de uma abelha

em mel banho-Maria,

 

Tínhamos o sonho

e a saudade

tínhamos os rolamento com esferas de aço

quando brincávamos nos finais de tarde,

 

Tínhamos o amor sensível à luz das palavras silvestres

como faziam as flores

sobre a cama relvada do silêncio jardim

tínhamos as vertigens dos mamilos desgovernados

debaixo da água do rio

ao longe brincávamos

e eu disfarçava-me de socalco

e tu

de xisto poema

tínhamos uma ardósia onde escrevíamos

os segredos minguados dos teus lábios siderais

e eu,

 

Tínhamos corpos de cigarros deitados nas nossas mãos de linho

estava vento

éramos a noite que um isqueiro de prata incendiava

nas planícies ágeis dos anéis de aço

e inventávamos o desejo

como quem escreve na areia antes de regressar o mar

tínhamos corpos de sémen nas algibeiras da sentinela morte

que o teu suicídio lavou em águas profundas,

 

Tínhamos o sorriso de um louco

que transversalmente dormia nas iscas de fígado

e na sopa de feijão

da cerveja

havia vodka que silenciava as amêndoas de luz

e tínhamos no peito

árvores cansadas de respirar

que o sabor da insónia nos roubou...

 

(não revisto)

@Francisco Luís Fontinha

Alijó

publicado por Francisco Luís Fontinha às 22:38

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Janeiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO