Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

09
Mar 13

Inventei distâncias para fugir de ti

criei dentro de mim

personagens invisíveis

bonecos e bonecas em pura porcelana

vivi menti

como um agarrado jardim

às árvores comestíveis

dos corpos mortos na lareira chama,

 

Como me arrependo das caminhadas pela montanha

comendo ervas daninhas

ou aguentando o castigado castigo

do homem com cabeça de vidro

dormíamos inventando prazeres

e pequenos gemidos

que a noite engolia

e o dia

o querido dia transpirava

vomitava

contra as ardósias das ruas em desalinho

dentro de mim invenção da manhã doente e sonolenta,

 

Inventei o coração de prata

e o orgasmo matinal

inventei os relógios de sol

e os telhados de lata,

 

Inventei distâncias para fugir de ti

desenhei versos de amor

nas parede insolentes

dos corpos com colares de iodo

inventei a loucura

e as enfermarias onde acorrentam Marias

e a mim

que inventei as árvores com folhas de papel...

 

(não revisto)

@Francisco Luís Fontinha

publicado por Francisco Luís Fontinha às 22:46
tags: , ,

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9






Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO