Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

30
Mar 13

foto: A&M ART and Photos

 

Habitas nos fantasmas candeeiros de porcelana

e não saberás nunca

o nome verdadeiro do ciúme nocturno

habitas e desfazes-te em sorrisos de areia

habitas nos corpos poisados sobre os cais de madeira,

 

Habitas dentro do prazer

como as abelhas mergulham no pólen da madrugada

habitas na saudade

e nas ervas miúdas que brincam nos quintais de papel

à beira-mar,

 

Um livro eterno submerso nas lágrimas do céu da boca

e tu habitas no transformismo das palavras mortas

pelas línguas de prata

como uma pirâmide escondida no deserto

com os braços alicerçados aos lábios do desejo,

 

Habitas no meu corpo

desarrumado

e cansado

habitas nos textos que escrevo

e nos poemas com as palavras prisioneiras na húmida térrea,

 

Habitas fingindo que sonhas no meu peito

corres e corres e corres pelo corredor do silêncio

como se fosses uma criança sem nome

ou uma flor sem cor

ou... uma mulher de sombras que habita nos túneis da solidão...

 

(não revisto)

@Francisco Luís Fontinha

publicado por Francisco Luís Fontinha às 22:40

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9






Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO