Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

07
Mai 13

foto: A&M ART and Photos

 

Debaixo do meu cadáver de carvão

anoitecem horários proibidos como sonâmbulos esqueletos de desejo

não propriamente desejando o que quer que seja... imaginando imagens supérfluas

e desconhecidas nas paragens do autocarro da carreira

não percebem eles que o vento quando regressa

é porque se desencontrou com as árvores e nuvens e noites inculcadas

como pernas e braços sobre a cama camuflada do silêncio pergaminho

que as gaivotas transportam para as cidades de vidro,

 

Debaixo de mim... a viagem até te encontrar de cócoras procurando o mar

e as rochas de murmúrios que a areia sabe esconder

desenho no teu corpo de silício as marés de Agosto

embrulhadas nas poucas lágrimas que as aranhas fazem disparar contra o muro da tristeza

porque sim digo-o sem perceber sabendo que lá fora existem mãos de cordas ao nylon

depois da tempestade aportar sobre o cais do desassossego

e um pequeno barco lança-se dos teus lábios

em pequenos suicídios adormecidos...

 

Ele morre

e tu desejas-me quando cai a noite sobre os tentáculos da dor

cresce em nós mais um dia em desespero

um dia pequeno que depois se alonga noite fora

eles

eles esquecem-se de apagar as luzes da melancolia

e enquanto haver sol e estrelas e lua

é impossível amar-te como os socalcos do Douro amam as sombras de seios em delírio,

 

Sentindo-se as poucas cinzentas árvores

debaixo do meu cadáver de carvão que o oceano vai consumindo

como um toxicodependente absorve as veias infelizes dos lírios

e dos cravos

e das grandes pérolas com sabor a morfina

que alimentam sonhos e ressacas das belas palavras

mergulhadas na poesia

sempre sem o saberes dos jardins insignificantes com bancos em madeira apodrecida...

 

(não revisto)

@Francisco Luís Fontinha

publicado por Francisco Luís Fontinha às 22:58

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO