Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

15
Mai 13

foto: A&M ART and Photos

 

Um corpo arde da penumbra noite de literatura

e da lareira dos livros vêm as marés com espuma de sémen

que as nuvens de amianto transportam sobre os cofres nocturnos da insónia

há intensas fogueiras de incenso sobre o teu ventre adormecido

pelo cansaço vómito do prazer,

 

Acordas-te puxando as encostas montanhas de rochas em intranquilos momentos

e poeirentas mangueiras de planícies pintadas de amarelo com bolinhas azuis

pensavam que eram o céu

e apenas as vírgulas no final de um texto escrito por ti

quando ainda conseguias alimentar as labaredas do amor,

 

Ardias por dentro

e fingias habitar como cubos de gelo

num copo de uísque sobre uma mesa redonda com pernas de aço

e dizias-te filha eterna do sono

e ardias nos meus braços de mogno importado do além...

 

Um corpo o teu corpo em mim semeado

ardemos os dois corpos dentro de um amontoado chiqueiro de cobras com lâmpadas de iodo...

havíamos de descobrir o medo

havíamos de descobrir o amor proibido e peneirento

do peneireiro de asas abertas com destinos infantis e sons de orangotango em cio,

 

O rio e a cidade dos corpos que ardem

em ti

de mim sabendo que amanhã deixarei de ter palavras para escrever

e muitos deles

felizes por saberem que amanhã... eu e tu... somos cinzas esquecidas na lareira da poesia...

 

(não revisto)

@Francisco Luís Fontinha

publicado por Francisco Luís Fontinha às 22:59
tags: , ,

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO