Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

12
Jun 13

foto: A&M ART and Photos

 

imagino o amor envergonhado

aquele que procura nas palavras os abraços prometidos

o amor às vezes não desejado

que acontece como o granizo em plena tarde de Primavera

 

imagino e percebo

o desassossego dos olhos envenenados pela íris das sebentas

aos gemidos frios sonhos que inventavas

 

o amor

o raio do amor travestido e cansado

embrulhado num velho cobertor

entre palhas e silêncios

das janelas do abismo

os beijos

sem sentido

quando uma mão poisa sobre mim

sinto-a a argamassar-me como dentaduras em marfim

no meu pobre esqueleto de vidro

comendo-me ossos e sentimentos

e o amor zangado e perdido

 

o verdadeiro amor

de joelhos

junto ao mar

percebo das imagens reflectidas pelos espelhos do prazer

que zarpaste em direcção a uma ilha sem nome

idade

coração nem falar...

o amor

em ti

de ti

eu desejar

sonhar

 

o amor

fictício como lâminas de barbear

o amor sofrido sobre as árvores em flor

o amor...

aquele eterno amor

perdido numa calçada da Ajuda.

 

(não revisto)

@Francisco Luís Fontinha

publicado por Francisco Luís Fontinha às 22:16

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO