Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

29
Jun 13

foto: A&M ART and Photos

 

Deixei de ti os silêncios envergonhados

alicerces maleáveis com cabeça de madeira

deixei em ti o sulco prometido das rosas envelhecidas

cantigas da madrugada

cantigas... palavras húmidas

que o teu corpo absorve

como uma esponja recheada de lâmpadas de halogéneo...

como uma mão emprestada,

 

Cantei de ti

as cantigas profanadas nos jardins da insónia

gostei de ti em ti depois das estrelas sobre a cama nocturna com olhos de luar

entrarem em mim

deixei de ti

os silêncios envergonhados...

deitados os maleáveis sonos programados pelo relógio portátil em paredes ocas de gesso...

e um coração de ti parece romper as cordas que prendem a tenda do circo ao chão de areia,

 

Cansei-me de ti

em ti

por mim

entre colunas de granito e traves velhas de castanho...

cansei-me

das palavras ocas das paredes húmidas

em corações de gesso?

Mentiras de ti quando acordam em mim os silêncios envergonhados...

 

(não revisto)

@Francisco Luís Fontinha

publicado por Francisco Luís Fontinha às 21:43

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO