Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

05
Ago 13

foto de: A&M ART and Photos

 

não sabes que o tempo mata

e a saudade vem

como a chuva depois da tempestade

como o vento velozmente nos teus lábios,

 

não

não sabes que

mata

o tempo

a saudade

a insónia

não sabes que da noite vêm as tuas mãos acariciar a minha face em migalhas de xisto

triste

vadia

perdidamente só como as árvores quando dormíamos na floresta dos sonhos

depois de fazermos amor

tínhamos a miudinha chuva onde nos embrulhávamos como lençóis de água salgada,

 

galgando muros

terrenos indomáveis

silêncios

amores

e barcos

fundeados na paixão fumegante dos cigarros invisíveis,

 

(não sabes que o tempo mata

e a saudade vem

como a chuva depois da tempestade

como o vento velozmente nos teus lábios)

 

Deitas-te sobre a areia vermelha

desenhas-me no chão húmido em finos traços de carvão

há em ti uma tela esbranquiçada

doente

falida

amada,

 

amas sei que amas

e sofres

porque sofres

porque és o mar

desenhas-me e deitas-te sobre a areia vermelha

iludes-te

e desiludes-me

como uma criança sem perceber que o Pôr-do-Sol é de chocolate...

 

(não revisto)

@Francisco Luís Fontinha – Alijó

publicado por Francisco Luís Fontinha às 23:19

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Agosto 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO