Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

08
Set 13

foto de: A&M ART and Photos

 

sinto-o correr nos poços escuros do meu corpo

quando escarpas e ventos se alicerçam nas minhas tristes mãos de areia

sinto-o como se ele fosse uma lâmpada de cristal vomitando palavras

tracejados traços no sorriso de uma abelha

e sinto-o e sinto-a

em mim depois de adormecer a solidão

sinto-o correr nos poços escuros... do corpo

e há uma corda invisível em cada esquina do sofrimento

que as cidades descobrem depois de acordar a manhã

e as ruas absorvem as lágrimas tuas

que correm nos poços...

escuros nus dormentes ausentes das sílabas de prata

 

vazios como o silêncio desgovernado

dos teus íngremes cabelos com sabor a naftalina

e de uma gaveta fechada

uma sombra disfarçada de imagem

emerge no espelho da dor

estás triste

como se o teu barco naufragasse no profundo Oceano mar...

e no entanto

sem o perceberes

uma jangada voa nos teus olhos magoados

como uma gaivota de oiro envenenada pela insónia de uma velha estória...

e sinto-o e sinto-a... dentro de mim em gritos de revolta

 

 

(não revisto)

@Francisco Luís Fontinha – Alijó

Domingo, 8 de Setembro de 2013

publicado por Francisco Luís Fontinha às 14:49

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Setembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9



29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO