Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

20
Nov 13

foto de: A&M ART and Photos

 

o frio gelatinoso dos teus ossos de prata

quando se engrenavam no meu cansado esqueleto de lata

mórbido papel onde jaziam as alegres palavras da madrugada

tínhamos na mão o peso desmesurado da geada clandestina

que o relógio de pulso escrevia na alvorada

as sílabas envergonhadas da musa menina

o frio entranhava-se nos oleosos cobertores de menta

e havia sobre a mesa-de-cabeceira um livro cadáver com sabor a pimenta

a madrugada das palavras congelava como congelam as hélices dos cucos de porcelana...

havia mendigos à procura de uma cama

e tu desproporcionada

envergonhavas as gotículas suicidadas

que a tarde construía nos lençóis de pura virgem lã... doces línguas de desejo

(o frio gelatinoso das engasgadas bocas com flores de lábios charlatães

fundiam como chumbo no cacifo do corredor antes de acordar o pôr-do-sol)

o frio gelatinoso das mãos diurnas aquecem os dedos da palavra apaixonada

vagabundas pernas de aço descendo as calçadas

e no entanto... tínhamos um piano em sexo embrulhado no silêncio beijo

 

 

(não revisto)

@Francisco Luís Fontinha – Alijó

Quarta-feira, 20 de Novembro de 2013

publicado por Francisco Luís Fontinha às 22:51

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Novembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO