Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

28
Mar 15

Adormecido nas ostras marés da serpente de prata, para o inferno…

E,

Não, filho!

A guerra foi perder tempo, corpos, estórias e memórias, o meu melhor amigo

Morto!

O caixão entre quatro tábuas de sofrimento, a algazarra da embriaguez ouvia-se nos poemas em círculo, a fogueira incendiava a paixão,

Dispo-me?

Não, filho!

Promessas,

Dispo-me, olho-me no espelho do enterro, ele

Não,

Ele de espingarda ao ombro, imaginava-se um soldado de chocolate, sentia dentro do seu peito cada disparo, cada dor, cada…

Fugiu!

Ontem, ao final da tarde, a viagem até ao ninho das cegonhas negras, descia a noite sobre o capim dos beijos analógicos,

Na parede,

Fugiu…

Os ponteiros mergulhados numa poça de sangue, a lápide esperava-o na aldeia, o meu pai

Coitado,

Sentado numa cadeira a vender seguros de vida, falsos, claro

O telegrama,

Morto em combate,

Claro, amanhecia e ele sentia-se um peixe perdido nos fósforos do desejo, e a morte mesmo ao seu lado…

 

 

(ficção)

Francisco Luís Fontinha - Alijó

Sexta-feira, 27 de Março de 2015

publicado por Francisco Luís Fontinha às 00:51

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Março 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO