Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

10
Mai 15

Tínhamos na enxada do silêncio

A esperança de uma nova madrugada

Ouvíamos todas as noites

O ranger do xisto contra os corações de sombra

E ninguém percebia

Que aquele

O rio

Que aquela

A cidade

Pertenciam-nos

Como crianças

Brincando

Sem destino

Ou vaidade

Como sonâmbulos de pedra

Dormindo

Num qualquer jardim

Entre beijos

Abraços

E palavras sem fim

Tínhamos na enxada do silêncio

A vergonha do cansaço

Porque habitava na noite um barco de sémen

Descendo pausadamente

A Calçada

E morria

E morria

Junto ao teu corpo

E morria

Enquanto te abraçavas às estátuas da solidão

Que caminhavam

Caminhavam

Que caminhavam na tua mão…

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Domingo, 10 de Maio de 2015

publicado por Francisco Luís Fontinha às 18:52

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Maio 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9






Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO