Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

25
Mar 14

Aqui vou procurando as sílabas perdidas em ti,

aqui abraço o cansaço dos teus lábios,

aqui adormeço, aqui... aqui habito como um sonâmbulo embriagado,

uns dias olho o luar, outros... outros apetece-me chorar,

aqui não há mar,

gaivotas,

cacilheiros travestidos de neblina,

aqui, eu, percorro as cinzas do teu olhar,

e sonho, e penso, e quero partir como partem as andorinhas depois do término da Primavera,

aqui me esqueço, aqui...

aqui fundeio o meu cadáver de pano,

e grito, Aqui... Aqui a vida é um engano,

 

Aqui me amanho como um rebanho de desejo,

escondo-me na montanha do adeus, e nada, e nada,

aqui tenho livros que não quero ler,

odeio as palavras, odeio o querer...

querer que não tendo vou ter,

o quê?

 

Que aqui vou procurando as sílabas perdidas em ti,

os jardins sem flores,

as nuvens tão negras, tão negras... que é sempre noite,

sempre... sempre noite,

aqui não há Cais do Sodré,

machimbombos, mangueiras... papagaios em papel colorido,

aqui me enforco, aqui habito imaginando que tenho ossos, que tenho vida...

tecto com estrelas em chita, aqui... aqui nada me excita,

nem as palavras, nem as imagens das fotografias assassinadas,

aqui não há madrugada,

amanhecer,

aqui, aqui apenas existe dor, aqui, aqui apenas existe... engano.

 

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Terça-feira, 25 de Março de 2014

publicado por Francisco Luís Fontinha às 22:52

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO