Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

25
Fev 14

foto de: A&M ART and Photos

 

Às flores vencidas

aos pilares de areia das tardes perdidas

às árvores emagrecidas

e aos rios condenados

tristes

tristes e apaixonados

aos sorrisos de algodão

e às lágrimas de porcelana

às flores envelhecidas que ressuscitadas insistes

e ignoras

e choras...

a madrugada das persianas embaladas,

 

(às flores vencidas

e aos cansaços amores do invisível desejo)

 

Às flores vencidas

que se escondem em jardins com janelas encardidas

aos pássaros de marfim com ossos desventrados em marés esquecidas

e aos silêncios com palavras escritas em paredes de xisto

e tu não percebes os sonhos com coloridos quadrados e círculos nocturnos

e desisto

de procurar os lábios da Garça sem graça... nas ruas de Lisboa

descendo a calçada endiabrada comendo rebuçados de voláteis cigarros de chumbo...

às flores enroladas em trigonométricos fumos

que morrem na cidade das esplanadas de vento

com sofrimento

a vós, a todos vós que têm corações de pano e beijos de chita...

 

(às flores vencidas

e aos cansaços amores do invisível desejo)

 

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Terça-feira, 25 de Fevereiro de 2014

publicado por Francisco Luís Fontinha às 23:00

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Fevereiro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO