Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

16
Jan 16

Clarissa, meu amor, viver nesta quinta é um pesadelo, sempre a olhar o rio, sempre o rio a olhar para mim, como se eu fosse um sem-abrigo, um “cabrão” diplomado, de fato e gravata, engatando gajas em Cais do Sodré,

E tu, meu amor, Clarissa, sabes que a minha vida está por um fio, esta maldita doença levar-me-á até aos teus braços, aos teus beijos, e esta maldita

Levanto-me, olho-me no espelho encurralado na insónia o meu rosto de cadáver, sinto muito, morreu…os dias despidos nas aventuras das tuas coxas, os dias libertos da prisão do Adeus, ontem, sabes, meu amor, Clarissa? Apaixonei-me pela razão, e sabes, meu amor, Clarissa, tu pertences aos pássaros do meu jardim,

E esta maldita morte que não me larga, três drageias ao pequeno-almoço e uma ao deitar… amanhã está como o aço,

Enferrujado, penso como se estivesse a conversar de futebol com o Joaquim, sempre o melhor, e eu que detesto futebol, e eu que detesto futebol… se fossem gajas de Cais do Sodré?

 

(ficção)

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Sábado, 16 de Janeiro de 2016

publicado por Francisco Luís Fontinha às 01:05

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9



24
25



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO