Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

01
Nov 14

Tristes versos

estes

barcos esfarrapados que se afundam nos teus olhos

carcaças de ossos

gente aos molhos...

tristes versos dos mendigos sem solução

habitantes de uma cidade em alvoroço

dia sem almoço

carcaças

ventos e marés em confusão

estes

versos

sem nome

estes

estes barcos enferrujados lapidando calçadas e transversais loucas

mulheres cansadas

mulheres acariciando a madrugada

tristes

versos

os corpos em migalhas

em direcção ao rio da amargura

tristes

tristes tardes de literatura

que alimentam os mendigos sem solução

estes

versos

e ossos

este vazio dentro do meu peito incendiado

embriagados livros cambaleando na atmosfera

os círculos do coração... em espera

estes nomes

versos

e crianças...

procurando as árvores da infância

tanto medo... meu Deus...

medo da esperança.

 

 

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Sábado, 1 de Novembro de 2014

publicado por Francisco Luís Fontinha às 22:15

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Novembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO