Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

05
Abr 14

lia no teu o olhar o cansado abismo

aquele homem vestido de naftalina com odor a solidão

eras um livro sem palavras, um livro só, descalço... um livro que todos apelidavam de saudade

lia no teu olhar o silêncio da sanzala de prata

meninos que inventavam amanheceres

e meninas que dormiam fingindo o cacimbo da dor

 

lia e não queria acreditar

que havia sofrimento nos teus desejados ombros

lia e não queria acreditar

que existia no teu rosto lágrimas de chorar

 

rochas embalsamadas, pilares de areia, zinco, zinco que embrulhava a tua mágoa

e eu, eu acreditava que eras em porcelana

pintada de rosa adormecida

e eu, eu acreditava que no teu jardim viviam fantasmas..., fantasmas... meu amor

podia lá ser

podia lá ser..., no teu jardim... fantasmas...

 

lia no teu olhar o triângulo equilátero da tua paixão

pegava nos teus ângulos, calculava o seno e o cosseno do teu mesmo olhar

aquele que eu lia

lia... e deixei de ler

fiquei cego, ou... simplesmente voaste em direcção à ponte sem treliças

e deixei de olhar

 

e deixei de viver

lia no teu olhar o poema envenenado pelo ciume

lia e não mais quero ler

ler... o que diz o teu olhar... meu amor

 

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Sábado, 5 de Março de 2014

publicado por Francisco Luís Fontinha às 21:48

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Abril 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO