Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

03
Ago 15

desenho_03_08_2015.png

 (desenho de Francisco Luís Fontinha / 03-08-2015)

 

Sinto o Tejo cravado no peito,

Acaricio os cigarros olhando a ponte,

Pego na tua mão,

Permaneço secreto como os barcos que brincam nos nossos lábios,

Desenho beijos na face oculta do teu olhar,

E vejo a alegria entranhada nos teus cabelos,

Sinto o Tejo cravado no peito,

A paixão esperando o regresso do vento,

As palavras deixaram de habitar as cartas envidraçadas,

Cerrei todos os livros,

E todas as madrugadas,

Hoje, és uma rua deserta,

 

Perdida na cidade…

Sem nome,

Sem nada…

Sofro,

Tenho no rosto as lágrimas argamassadas da fuga,

Quero fugir,

Sem rumo,

Procurando o Tejo cravado no peito,

 

Ou pegar na tua mão…

 

Sem jeito,

 

Sem Tejo cravado no coração.

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Segunda-feira, 3 de Agosto de 2015

publicado por Francisco Luís Fontinha às 00:05

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Agosto 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO