Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

03
Ago 15

desenho_04_08_2015.png

 (desenho de Francisco Luís Fontinha)

 

Sabia que a Primavera terminaria brevemente,

As flores em papel que brincavam nas tuas mãos,

Cessaram…

Recordo os teus beijos junto a dois carris invisíveis,

Sabíamos que tínhamos um Cacilheiro em cada braço,

O cheiro do teu corpo voando no olhar dos marinheiros sem Pátria,

É triste o amor, meu amor…

É triste a tristeza, meu amor,

Como são tristes todas as palavras embrulhadas na solidão,

Meu amor…

 

Desenhei o teu rosto infinitamente nas lágrimas da noite,

Olhava-te,

E sentia o odor do teu cabelo nas réstias sombras da tinta embriagada pelo luar,

Morre a tela onde poisava o teu corpo de seara embarcadiça,

 

O Oceano entre quatro paredes,

Uma porta com fotografia para o rochedo da insónia,

 

… Meu amor, o que é a insónia!

 

Sabia que todas as luzes do eléctrico fugiram para um qualquer bar de Alcântara,

Os barcos na minha algibeira,

O silêncio junto à casa de banho…

E sentia-me um pedaço de vidro combatendo a morte,

Sabes, meu amor,

Desenhei a tua voz no meu peito cravado de palavras,

Nunca mias vi o mar…

 

Meu amor,

 

O sexo enlatado nos melódicos sons do vizinho do quarto esquerdo,

Range a cama,

Sinto a minha voz escondida no espelho da minha amante,

E meu amor,

Nunca mais vi o mar…

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Terça-feira, 4 de Agosto de 2015

publicado por Francisco Luís Fontinha às 23:44

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Agosto 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO