Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

12
Ago 15

desenho_12_08_2015_2.png

(Francisco Luís Fontinha)

 

O amor entre quatro paredes em vidro

Pincelado por um louco,

O amor de tão pouco…

Em nada satisfaz a luz da solidão,

Um coração dilui-se na madrugada semeada nas palavras,

O livro que o louco tem na mão…

Arde como ardem os cigarros das quatro paredes em vidro,

Esqueci como era o mar,

Esqueci como enferrujado está o meu corpo,

Sem perceber a mendicidade nocturna das pontes entrelaçadas nos petroleiros do luar,

O meu relógio cessou de gritar,

Afogou-se numa esplanada de vento…

 

Quando o rio brinca nos meus lábios,

Sinto-te correndo em direcção às quatro paredes em vidro,

Escondes-te no meu peito,

Sofres,

E não sabes o nome da minha cidade,

O amor de tão pouco…

Louco travestido de alvenaria,

Entro, sento-me… e fico até encerrar a livraria,

A paixão é uma tempestade de saudade,

E nunca sei se hoje há literatura nas tuas coxas,

E nunca sei se hoje há coxas embrulhadas em literatura…

Porque tu és um quarto escondido entre quatro paredes em vidro.

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Quarta-feira, 12 de Agosto de 2015

publicado por Francisco Luís Fontinha às 21:35

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Agosto 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO