Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

29
Jul 15

desenho_28_07_2015_3.png

 (desenho de Francisco Luís Fontinha - Alijó / IPO-Porto, 28/07/2015)

 

Tenho asas nas pálpebras

Sou o solitário viajante das noites infinitas

Oiço a madrugada embrulhada em pedaços de lágrimas

E das palavras que incessantemente te escrevi

Já não preciso delas

Nem dos livros

Fotografias

Nada assim

Tenho nas mãos os secretos beijos dos teus lábios

Tenho no olhar a tua boca sonolenta

Em queda livre

Em direcção à cidade

Finjo que amanhã será um novo dia

Estará sol

E vão nascer nos teus braços tristes cordas de nylon

Transformar-te-ás num barco de papel

Sem bandeira

Comandante…

Nem precisarás de marinheiros

Ou vento para desceres a montanha da saudade

Imagino-te voando como as gaivotas sobre o Tejo

Sentava-me e fumava cigarros doentios

Depois escrevia num caderno o número de petroleiros contra o desassossego

Traziam a dor

E os movimentos pendulares do sonho

Tenho nas pálpebras

As asas

Que a madrugada há-de afogar nos Oceanos

Que a manhã há-de levar na algibeira

Para a outra margem

Fotografias

Em queda livre

Livre…

Como o luar dos amanheceres em vidro

Fusco

Cortinados abandonados numa janela sem sorriso

Fusco

Finjo…

Que tenho asas nas pálpebras.

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Quarta-feira, 29 de Julho de 2015

publicado por Francisco Luís Fontinha às 00:54

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Julho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

14

22
23

28
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO