Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

26
Jul 14

Há um beijo desgovernado,

há uma planície na frescura dos teus lábios,

um livro que arde, um livro que desiste de amar...

há silêncios com sabor a amanhecer,

olhares desatentos, olhares... olhares suspensos nas pálpebras da solidão,

há uma mulher com asas de papel na varanda do terceiro andar,

não chora,

não... não olha para ninguém,

há um beijo desgovernado,

uma manhã prisioneira que teima em acordar,

há um veleiro perdido no mar,

onde habita o marinheiro amor,

 

Há um corpo que procura os rochedos da dor,

e finge ser a preia-mar, e finge ser a cidade inacabada, sem braços, sem mãos...

sem... sem madrugada,

 

Há uma planície na frescura dos teus lábios,

um rio que desce a montanha sem perceber o significado da paixão,

há peixes assassinados,

peixes... peixes coloridos no cansado coração,

há um terceiro andar, e há uma rua com cabelos de oiro,

uma eira esquecida nas noites de luar,

uma estrada,

o livro que arde, e não sente nada,

há... há uma mulher... há uma mulher amada...

sem o saber, sem o sentir,

há um beijo,

um beijo que não sabe sorrir...

 

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Sábado, 26 de Julho de 2014

publicado por Francisco Luís Fontinha às 19:07

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Julho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO