Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

27
Jan 16

O mesclado silêncio do pensamento

Nas palavras proibidas,

O amor vergado no vento,

O amor dançando no jardim das esmeraldas cinzentas,

A paixão envergonhada

Nas mãos sofridas,

O mesclado silêncio voando na madrugada

Sem perceber o desejo que alimentas,

E em mim a desilusão de habitar o teu olhar,

Sofrer como sofro em cada livro perdido,

O mesclado silêncio adormecido

Nas catacumbas do luar,

E sendo assim,

As esmeraldas no meu jardim,

Sem cansaço nem avareza

Para disfrutar de tanta riqueza…

 

Francisco Luís Fontinha

quarta-feira, 27 de Janeiro de 2016

publicado por Francisco Luís Fontinha às 22:32

E não fosse o amor o sentimento mais nobre que existe...ele habita em tudo o que nos rodeia, tenhamos nós olhos e sentidos bem apurados para o detetar...!Lindo o poema.
Júlia Tigeleiro a 28 de Janeiro de 2016 às 12:37

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9



24
25



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO