Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

24
Ago 17
Não sei o que te diga,
O sono utópico na displicência da ignorância,
Cansaço, muito, agreste e triste,
Triste e alegre do cansaço absorvido no dia sem fim…
Conto os segundos, conto os minutos… e perco-me nas horas mortas, sem destino, nas palavras, e, e nas searas envergonhadas,
Desconfio que fui atropelado por um poema sem nexo, idade… ou cidade,
Dispo a farda, poisa a arma de papel sobre a secretária, pego novamente na arma e disparo… e sinto a cabeça cravada no espelho do quarto,
Estou parvo, hoje, cansado, hoje, farto das palavras, e farto dos livros,
Não sei o que te diga,
O sono,
O tédio,
Casa assombrada e a arder de febre,
E o sofrimento nas mãos…
(estou parvo, hoje, meu amor).



Francisco Luís Fontinha
Alijó, 24 de Agosto de 2017
publicado por Francisco Luís Fontinha às 21:20

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

14
16
17
18
19

21
22
25

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO