Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cachimbo de Água

MENU

O travestido cinema de Bairro

Francisco Luís Fontinha 29 Jun 16

Entre as linhas do silêncio

As ânforas madrugadas sem mim

O óbvio segredo das serpentes de granito

Antes do regresso do pôr-do-sol…

A limalha lágrima

Sufocando o rosto da Princesa

Os limites da equação do desespero

Voando sobre os telhados envidraçados

Das mulheres desejadas

O beijo feitiço

Os lábios denegridos da solidão dos dias embriagados

Que apenas eu consigo observar numa cidade sem nome…

Entre carris de esperma

A locomotiva da solidão

Descendo a montanha

Os apitos da loucura

Nos lençóis esquecidos numa qualquer cama

Desertas ruas envenenadas

À porta do cinema…

Simplifico-me

Travisto-me

E para nada…

Não passo de um sonâmbulo

Filho da alvorada.

 

Francisco Luís Fontinha

quarta-feira, 29 de Junho de 2016

Sobre o autor

foto do autor

Feedback