Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

12
Set 15

desenho_13_09_2015.jpg

(Francisco Luis Fontinha – Setembro/2015)

 

Há uma invisível incógnita

Na equação da paixão,

Um silenciado olhar enforcado na minha boca,

O luar saciando-se nos meus lábios…

E tu… e tu gritando como uma louca,

 

Dessa maldita equação

Sobejaram as lâmpadas ofuscadas pelo cansaço,

Um brilho de noite agachada na calçada,

O homem da bangala tropeçando no abismo

Que acorrenta a madrugada,

 

Há uma invisível incógnita

Na minha desalojada mão,

Os ossos apodrecidos,

Em pó…

Em busca dos poemas mendigos,

 

Os amigos,

Ausentes deste papel quadriculado em brasa,

Os cigarros “fodidos”…

No cinzeiro roubado na Feira da Ladra,

E uma vez mais… em busca dos poemas mendigos,

 

Rasgados ventres nas amoreiras em flor,

Sabotando o corpo nas cordas do sofrimento,

Há uma invisível incógnita na equação da paixão…

Morta,

Alicerçada no meu coração.

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Sexta-feira, 11 de Setembro de 2015

publicado por Francisco Luís Fontinha às 19:41

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Setembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


24

27
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO