Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

23
Jan 17

São horas de terminar
este cansaço
desesperado,
são horas de caminhar
sobre esta calçada
triste
e magoada,
e quando este dia terminar
são horas de cessar
esta vida embainhada
que só a solidão sabe comemorar…
são horas
meu amor
de terminar estas palavras desejadas
velhas
tão velhas como a madrugada,
são horas de terminar
este cansaço
desesperado,
das planícies devolutas
o pincel poisa na tela da saudade,
e são horas,
meu amor…
são horas de trabalhar
a montanha da noite,
são horas de fabricar o pão imaginário
dos telhados de vidro…
são horas,
são horas… são horas meu amor
de erguer
bem alto
este poema assassinado pelo tempo.


Francisco Luís Fontinha
23/01/17

publicado por Francisco Luís Fontinha às 16:32

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Janeiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
24
25
26
27
28

29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO