Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

27
Jul 15

desenho_27-07-2015_2.png

 (desenho de Francisco Luís Fontinha - Alijó / IPO-Porto, 27/07/2015)

 

Vivo imaginando corvos poisados neste quarto cinzento,

Sinto ao longe os barcos em círculos atravessando a tempestade,

Esta cidade morre como morreram todas as flores do meu jardim,

E mesmo assim…

Não me apetece escrever neste lugar sem nome,

Não vejo as estrelas,

Perdi a noite

E os andaimes da escuridão,

Perdi a paixão,

Deixei de ter o rio nas minhas veias,

As calças cresceram,

Pertencem a outro arbusto,

 

E estou aqui… como um rochedo,

Perdido,

Vestido de medo,

 

Sentado numa cadeira invisível.

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Porto, 27/07/2015

publicado por Francisco Luís Fontinha às 21:33

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Julho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

14

22
23

28
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO