Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

31
Jan 16

O sofro nesta vida desesperada

Que nunca tive,

O sono velozmente

Nesta triste rua transparente,

Que sente

E sofre

Os dias clareados,

O sofro do sofrimento

Nos sonhos abandonados,

A sorte,

O desejo envenenado,

Amados

Os transeuntes invisíveis da madrugada,

E vive

E sofre

A vaidade encarcerada,

As metáforas do teu olhar

Embainhadas nos silêncios de ontem,

E hoje acordei

Desenhando o teu rosto no meu rosto,

Sofri,

Sonhei

E senti a verdade dos alicerces de prata,

A cidade enraivecida,

O vício encurralado nas avenidas

Sós

Com soníferos de lata,

O bairro de sucata,

A rua deserta

Como só tu sabes amar,

E viver,

O sofro sofrido

No “foda-se” empobrecido,

No “foda-se” libertado

Deste verso comprido,

Saboreio-me nos teus lábios,

E pinto os meus lábios de sonolência,

Revejo todas as fotos de infância…

Um magricela doentio,

Em cio,

Com palavras em chapa,

Sofro,

O sofro nesta vida desesperada

Que nunca tive,

Que nunca tive um ombro para chorar…

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

domingo, 31 de Janeiro de 2016

publicado por Francisco Luís Fontinha às 14:41

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Janeiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9



24
25



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO