Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cachimbo de Água

MENU

O espelho

Francisco Luís Fontinha 23 Mar 19

No rosto a flor queimada da madrugada,

A sombra voadora do silêncio inanimado,

Os sopros dos corpos amachucados,

Quando a minha voz, cansada, trémula… se desfaz,

Em pequenas gotículas de geada,

O triangulo, o quadrado,

A canção revoltada,

Pelas palavras,

Do nada.

A boca silenciada,

Para mim, tanto faz,

Que seja de manhã, anoitecer…

Ou nada,

No rosto, as lágrimas dos telhados,

Nas sílabas incendiadas por um louco,

De tudo, nada,

Ou pouco.

A geada madrugada,

Os camuflados sorrisos do nada,

Coitados,

Tanto trabalhar,

Tanto amor,

Que de uma flor,

Vê-se o mar

E o nada.

 

 

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

23/03/2019

Aqui tudo bem

Francisco Luís Fontinha 2 Mai 11

Aqui tudo bem

Obrigado

Vou andando

Rastejando

Um pouco cansado

Cansado obrigado

Aqui tudo bem

Vou andando

Obrigado

Rastejando

 

Estou bem muito bem

Obrigado voltem sempre

Aqui tudo bem obrigado

Estou bem muito bem

 

Obrigado

 

Rastejando

Humilhado

Bem obrigado

Cansado.

 

 

Luís Fontinha

2 de Maio de 2011

Alijó

Sobre o autor

foto do autor

Feedback