Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cachimbo de Água

MENU

Na morte

Francisco Luís Fontinha 8 Abr 18

A morte.

Suspensa nas arcadas da solidão,

Composta por partículas invisíveis, cansada das madrugadas sangrentas,

Sem sorte,

O corpo que baloiça na forca da noite embriagada,

Sobre o coração,

Uma espada,

Jangadas de sabão que inocentemente alimentas.

 

 

 

Francisco Luís Fontinha

Alijó, 8 de Abril de 2018

A última ceia

Francisco Luís Fontinha 16 Fev 17

Nesta cidade me suicido

Com a lâmina de barbear

Que sobejou da última ceia…

As árvores acompanham-me até ao túmulo

Onde dormirei até ao amanhecer,

Depois, depois serei levado por uma jangada de solidão,

Levo na algibeira as amarras,

A pequena bagagem, o indispensável,

Alguns livros,

Papel, caneta… e pincéis,

Nesta cidade me suicido

Como um cão raivoso,

Revoltado com as notícias do jornal,

Vende-se,

Compra-se oiro,

Aluga-se apartamento junto ao mar…

E do meu corpo nem conseguem falar,

Apenas que o silêncio deixou de habitar as minhas tristes mãos de porcelana,

O cansaço,

O cansaço de escrever sem perceber onde nasci,

O que faço aqui? O que faço nesta cidade pintada a preto-e-branco,

Os muros dormem enquanto desenho um sorriso na terra queimada pelo vento,

Sinto o azoto do amor descer a calçada e alicerçar-se no rio,

Sinto a alvorada a comer-me…

Nesta cidade onde me suicido,

Com a lâmina de barbear…

Da última ceia… o perigo de acordar antes do sono,

O ultimato lançado pelo desejo para que eu seja depositado num aterro sanitário…

Não, não me agrada a ideia de ser comido por coisas simples

Que alguém deitou fora…

E morre o poema sem que o poeta se levante do chão ensanguentado pelos beijos da madrugada,

O papel arde,

A caneta sonolenta, tomba no pavimento encharcado de sémen…

Apagam-se todas as luzes,

Apagam-se todos os silêncios…

E apenas eu, só, nesta cidade enraivecida pelo cacimbo.

 

 

Francisco Luís Fontinha

16/02/17

palavras da morte

Francisco Luís Fontinha 18 Jun 16

invento no teu corpo os silêncios da noite

que absorvem os meus lábios argamassados pelo vento,

tenho na garganta as palavras da morte

que esquecem o tempo…

no momento da sorte.

 

Francisco Luís Fontinha

sábado, 18 de Junho de 2016

Cenas da NET

Francisco Luís Fontinha 25 Fev 14

Cenas da NET: Poema de Francisco Luís Fontinha – Sapo Angola – Blogue Cachimbo de Água.

Conte Connosco 2

Francisco Luís Fontinha 14 Mar 12

 

Francisco Luís Fontinha (Ficamos muito contentes que o teu trabalho faça parte do Livro "As Escolhas de José Luís Peixoto")

Orgulho

Francisco Luís Fontinha 28 Ago 11

Este blog está muitas vezes em destaque no Sapo Angola, e claro que fico orgulhoso, é destacado por mérito, penso eu, e parece que penso bem, este blog nunca foi destacado por CUNHA, não senhor, nunca tive CUNHAS, e não sou dado a lambedelas, este blog é meu, continuará a ser meu, e só morrerá quando eu morrer, e foi esta a promessa que fiz a quem o desenhou, Teresa Alves).

 

Obrigado à Teresa Alves;

Obrigado ao João Sá;

 

Luís Fontinha

Mistérios

Francisco Luís Fontinha 12 Ago 11

Misteriosamente o blog irmão deste em Portugal desapareceu dos destaques nos blogs do Sapo local, não escrevo e nunca escrevi para ser destacado, mas já o fui, e um dos meus poemas foi vencedor no dia 21 de Março (dia mundial da poesia), e misteriosamente, semanalmente o blog com o mesmo conteúdo e nome, mas no Sapo Angola, é destacado, e aparece frequentemente na rede, e obrigado à Teresa Alves que concebeu um template específico para o mesmo, e obrigado ao João Moreira de Sá por gostar dos meus textos e poemas, ambos da equipa dos blogs Sapo.

 

Há mistérios que nem Deus consegue desvendar, e há textos e poemas que são de destaque para os Angolanos, e talvez os considerem uma merda para os Portugueses, mas a vida é feita de mistérios, e em Alijó, em Alijó há mistérios que nem Deus consegue desvendar…

 

Obrigado à Teresa e ao João por acreditarem em mim.

Blog cachimbo de Água em destaque no Sapo Angola

Francisco Luís Fontinha 10 Mar 11

 

 

O meu blog, cachimbo de água (http://cachimbodeagua.blogs.sapo.ao/) está em destaque no Sapo Angola. Agradeço à equipa dos blogs Sapo Angola, aos leitores Angolanos, e fica aqui a promessa de continuar e fazer cada vez melhor.

Obrigado a todos.

 

 

Luís Fontinha

10 de Março de 2011

Sobre o autor

foto do autor

Feedback