Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cachimbo de Água

MENU

Embriagado

Francisco Luís Fontinha 23 Abr 11

Sinto-me embriagado

Pelo silêncio da escuridão

Como se fosse o meu limite a eternidade;

Porquê ter medo ao escuro…! E a falta de luz é a saudade,

Não de alguém, mas de não ter tempo para ficar cansado.

Tenho tempo para me apaixonar,

Mas desconheço como conquistar um coração.

 

Resolvo equações complexas, mas tenho medo de caminhar,

E tudo parece tão simples, e tudo parece tão distante.

 

Sinto-me embriagado

Pela madrugada quando acorda com medo de acordar,

Mas sei que ela acorda e vai ao encontro do amanhecer.

Nunca tive medo de morrer

Mas tenho medo de acordar apaixonado,

Ficar sem nexo, estupidamente refém do meu pensamento

Como se fosse o mar.

 

Resolvo equações complexas, mas tenho medo do vento,

E tudo parece tão simples, e tudo parece tão distante.

 

 

Luís Fontinha

Alijó

Sobre o autor

foto do autor

Feedback