Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cachimbo de Água

MENU

Arcadas em flor

Francisco Luís Fontinha 30 Jul 14

Não sei porque chora,

este granito das arcadas em flor,

porque se cansa esta cidade...

porque morre este amor,

se a noite não vai acordar,

e a tarde,

e a tarde teima a alicerçar-se nos lábios da dor,

não sei porque chora,

este granito sem cor,

que no cansaço mora,

que dos abraços inventa as palavras de amar,

quando se dissipa no teu corpo o silêncio grito...

não sei porque chora,

este granito em teu olhar,

esse corpo fervilhando em desejo,

não o sei, agora,

se esse granito é luar...

ou... ou se é um beijo,

não o sei...

porque chora este granito das arcadas,

em flor semeados os seios da alvorada,

este granito das madrugadas,

que um dia desenhei,

e hoje, e hoje não é nada.

 

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Quarta-feira, 30 de Julho de 2014

Sobre o autor

foto do autor

Feedback