Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cachimbo de Água

MENU

A mosca

Francisco Luís Fontinha 8 Abr 19

Parem todos os imbecis.

Parem todos os ignorantes,

Energúmenos e os ausentes.

Parem todos os automóveis,

Parem todos os loucos,

Parasitas e poucos.

Parem todas as campainhas,

A minha,

A do vizinho.

Parem a Terra,

O silêncio,

E as mulheres belas.

Parem o trânsito,

As ruelas,

Ruas,

Cadelas.

Parem as putas,

Os putos…

E as naus encarceradas nas tuas mamas.

Parem.

Por favor, parem.

Parem as flores,

Os jardins,

Os amores.

Parem.

(Parem todos os imbecis.

Parem todos os ignorantes,

Energúmenos e os ausentes).

Parem os chulos,

Prostitutos,

Afins…

Parem tudo. Dói-me a cabeça.

 

Parem.

 

E, respeitem os ciganos!

 

 

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

08/04/2019

Sou um imbecil inadaptado

Francisco Luís Fontinha 15 Mai 11

Eu sei

Eu sei que sou um imbecil inadaptado

Um rio que corre ao contrário

Um segundo no relógio parado

 

Eu sei que nas minhas mãos não algas

Nem mar ou areia para me deitar

Eu sei

Eu sei que o meu barco está a afundar

 

Eu sei

Eu sei que na montanha há gaivotas

E que vem aí a tempestade

Eu sei, eu sei que no corredor não portas

 

Não nada onde me esconder

Não cama onde me deitar

Eu sei

Eu sei que sou um imbecil inadaptado à procura de ancorar…

 

 

 

Luís Fontinha

15 de Maio de 2011

Alijó

Sobre o autor

foto do autor

Feedback