Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

13
Abr 19

Menina do meu saber,

Endiabrada e a correr,

Menina do Douro encurvado,

Que chora sem querer…

Menina mimada, menina das tardes a chover,

Menina cansada,

A chorar,

Neste rio deitada,

A correr para o mar.

Menina da ribeira,

Dançando sobre o amor,

Palavras escritas no vento,

Deste corpo suicidado,

Menina das flores e do amar…

No pensamento,

A mão lançando a espada,

Dos livros, de nada…

Menina em flor,

Meninada apaixonada.

 

 

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

13/04/2019

publicado por Francisco Luís Fontinha às 19:51

11
Ago 14

Me fascina o teu olhar,

me deslumbra o teu corpo de jardim florido,

habitado por acácias, gladíolos... e malmequeres,

me fascinam os teus seios de purpurina madrugada,

como o centeio..., dançando sobre um telhado de zinco adormecido,

me fascina a tua voz de menina, doce, tão doce como a frescura ribeira...

apaixonada,

me fascinas... menina... mimada!

 

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Segunda-feira, 11 de Agosto de 2014

publicado por Francisco Luís Fontinha às 18:16

13
Jul 14

Que faço a estas páginas sem nome,

que digo às palavras escritas nestas páginas sem nome...!

 

Triste, a mão que se recusa a escrever,

a mão trémula que inventa cigarros de arder...

que faço a estas páginas de escrever,

anónimas, desorganizadas... páginas mortas, páginas amarguradas,

triste, a mão que acaricia o rosto da madrugada,

e não se cansa de amar,

 

Que faço... ao cabelo sem vento!

 

Sem nome, prontas a escrever,

que faço eu mergulhado no teu corpo de neblina...

triste, a mão que não se cansa de sombrear o amanhecer,

 

Que faço, eu!

 

Que faço eu nesta tela envergonhada,

onde moram os teus seios de menina...

que triste..., que triste as páginas deste livro quase a morrer,

que faço eu, às palavras não escritas,

aos beijos desenhados na mesa-de-cabeceira,

sem saber o que fazer...

 

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Domingo, 13 de Julho de 2014

publicado por Francisco Luís Fontinha às 19:02

03
Mar 14

foto de: A&M ART and Photos

 

Menina,

menina dos caracóis mimada que a sanzala ilumina,

embandeiro da insónia,

menina,

menina dos seios de prata que o capim apaixona,

imunda chuva nos charcos de lata,

o fumo engole e consome,

o que o amor desperdiça,

menina,

menina das noites de preguiça,

desejando o mar,

desejando o corpo das serpentes de marfim dos pobres corações amar...

 

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Segunda-feira, 3 de Março de 2014

publicado por Francisco Luís Fontinha às 23:03

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
14
15

17
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO