Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

24
Mar 11

Meu deus

Que deixas as minhas mãos em sangue

E nos meus lábios alimentas

As palavras de revolta,

 

A minha boca em gritos esparsos

E da minha cabeça um plátano suspenso

E os meus gritos na sombra

Cruzam-se com a madrugada.

 

Meu deus

Como admiro a tua arrogância

A tua forma de me tratar…

E em tantos milhões de seres

 

A mim me escolhes para sofrer.

 

Meu deus

Que deixas as minhas mãos em sangue

E o meu corpo feito em pedacinhos

E quando passo na rua

 

A humilhação de ser o que sou.

 

Meu deus

Como admiro a tua arrogância…

Podia chamar-te todos os nomes,

Podia dizer-te que quero que tu te…

 

Mas simplesmente te ignoro.

Mas simplesmente quero que tu te…

 

 

Luís Fontinha

24 de Março de 2011

Alijó

publicado por Francisco Luís Fontinha às 17:39

Julho 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17

19
20
21
22
23
24

26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

Meu deus

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO