Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cachimbo de Água

MENU

O fluorescente cansaço

Francisco Luís Fontinha 7 Mar 14

foto de: A&M ART and Photos

 

O fluorescente cansaço do abismo embainhado,

às vezes, é um penhasco enamorado,

às vezes, transforma-se em vértice, equação, às vezes grita... não.

O fluorescente cansaço padece de um imaginário número complexo,

uma paixão sem sucesso...

às vezes, despe-se,

e às vezes..., e às vezes não parece,

mas... não passa de um triste cubículo sem nexo,

vive fingindo sonhar,

e dorme... dorme fingindo escrever poemas de “nada”,

às vezes chora, e às vezes é a madrugada,

mas o fluorescente cansaço... é um amor sem solução.

 

 

 

Francisco Luís Fontinha – Alijó

Sexta-feira, 7 de Março de 2014

… um sonhador travestido de mendigo

Francisco Luís Fontinha 20 Jul 13

foto de: A&M ART and Photos

 

Objectos complexos

quiçá dos número perfeitos que o corpo absorve

objectos como serpentes venenosas enroladas na garganta da morte...

e o teu novíssimo esqueleto de chita vagueia sobre os zincos telhados

que a noite esconde quando das estrelas vêem-se os alicerces da solidão,

 

Ove-se em ti o círculo de sombra que a madrugada esconde

vivíamos embebidos no pânico das amendoeiras em flor

percebíamos que um dia também seriamos flores com braços de xisto

e no peito um pequeno sorriso de rio elevar-se-á até ao cimo da insónia...

ouve-se que o teu corpo amarrota papel pedaços como palmas de sofrimento nas ardósias das tardes de suicídio...

 

Objectos cansados pelos sons poéticos dos teus lábios

dizes-me que sempre fui um louco

… um sonhador travestido de mendigo voando nas transversais ruelas da cidade

eu... sou a cidade

prostituindo-se com a poesia invisível dos trapos pincéis que o mar alimenta.

 

(não revisto)

@Francisco Luís Fontinha

Números complexos

Francisco Luís Fontinha 22 Mai 12

Números complexos

palavra triste

ângulos convexos

na manhã que insiste

e resiste

à tentação de um verso

números complexos

em rotação

perverso

o meu coração

com versos

e resiste

às flores

com mãos de algodão

e resiste

a cansada paixão.

Sobre o autor

foto do autor

Feedback