Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

07
Dez 13

foto de: A&M ART and Photos

 

Não..., não chores. Não chores não, porque as lágrimas são gotículas de silêncio nos lábios do nocturno desejo..., não, não chores... não!

Porque as pedras são palavras disfarçadas de uivos sorrisos nas parvas madrugadas...

 

 

sinto de ti as coisas perdidas que as ruas de Lisboa absorveram

sinto em ti

(uma rosa morta dentro de um livro)

a saudade verde na branca tela do corpo magoado da cachopa de cabelo encaracolado...

a pele flácida e escura como nocturnas avenidas em mesas de bares nos portos de engate

sinto em ti

de mim

não

não chores

não

não chores não...

porque as pedras são palavras disfarçadas de uivos sorrisos nas parvas madrugadas

 

um rio de chuva corre nas tuas veias de alga amaldiçoada

o espelho meu espera-te e despe-te

ficas sossegada sobre a desassossegada mesa-de-cabeceira

na eira saltitam as espigas do velho milho em delírios corações de azoto

e tu

entre as frestas do espigueiro...

alimentas-te da minha apaixonada mão como lábios do nocturno desejo

não

não chores...

não venhas ao meu encontro porque lá fora há sonâmbulas paixões com cabeça de pôr-do-sol

e choras porquê?

e vens a mim... porquê?

 

 

(não revisto)

@Francisco Luís Fontinha – Alijó

Sábado, 7 de Dezembro de 2013

publicado por Francisco Luís Fontinha às 22:34

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
14
15

17
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

nocturno desejo

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO