Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cachimbo de Água

MENU

O teu corpo bordado a dor

Francisco Luís Fontinha 6 Abr 11

Do teu corpo bordado a dor

Emerge a luz da manhã

Abre-se uma janela para o mar

E nos cortinados poisam abelhas

 

Crescem flores

Madrugadas sem dormir

Luares embrulhados no pôr-do-sol

Quando no soalho a areia fina da praia

 

Se enrola no rodapé da neblina

Do teu corpo bordado a dor

Emerge a luz da manhã

E na tua mão um relógio engasga-se nos ponteiros dos segundos

 

Finge caminhar nas paredes do céu

À procura do teu corpo bordado a dor

Embrulhado no silêncio da noite

Deitado num rio imaginário…

 

 

FLRF

6 de Abril de 2011

Alijó

Sobre o autor

foto do autor

Feedback