Blog de Luís Fontinha. Nasceu em Luanda a 23/01/1966 e reside em Alijó - Portugal desde Setembro de 1971. Desenhador de construção civil, estudou Eng. Mecânica na ESTiG. Escreve, pinta, apaixonado por livros e cachimbos...

27
Dez 13

foto de: A&M ART and Photos

 

perdi-a sem saber que a tinha

dentro da minha mão despedaçada

enrolada nos meus finos dedos de arame farpado

perdi-a sem o saber

dentro das minhas veias habitavam os insectos da melancolia

três horas antes de adormecer

três vezes ao dia

a insónia invade-me entranhando-se nos meus olhos desnorteados

vagabundos

apaixonados...

e eu sem o perceber entro nas tempestades com sorrisos de mar

perdi-a e nunca mais a conseguirei encontrar no jardim do esquecimento

 

subi escadas

sentei-me em inúmeras varandas...

desci escadas

corri calçadas

tropecei... e caí sobre as lágrimas

perdi-a sem saber que a tinha

dentro da minha mão despedaçada

e uma sombra de mimo jaz na almofada do sonho morto

 

perdi-a

sem o saber

perdi-a de mim quando escrevia

palavras sem rosto

palavras

sílabas de nada

tristes madrugadas

perdi-a sem saber que a tinha

dentro

fora

na dupla esquina

de luz... como a luz dos holofotes dilacerados.

 

 

(não revisto)

@Francisco Luís Fontinha – Alijó

Sexta-feira, 27 de Dezembro de 2013

publicado por Francisco Luís Fontinha às 22:51

Janeiro 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
17
18

21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

os insectos da melancolia

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO